Um pouco de música, para aplacar a saudade

Nos tempos que vivi em Moçambique, conheci Tânia Tomé. Uma poetisa musical que brilha apresentando boa música, com boa voz, muita simpatia e, depois vim a saber ainda ao conhecê-la melhor, de grande inteligência. Sem dúvida é a minha queridinha entre as cantoras de Moçambique, pelo conjunto da obra.

Ultimamente, tenho assistido à novela Windeck pela TV Brasil. A primeira novela angolana transmitida no Brasil. A cultura africana, o jeito diferente mas tão parecido de falar português, as referências às novelas brasileiras, a nostalgia do tempo que vivi em Moçambique – uma outra África, mas também África -, tudo isso faz com que eu tenha virado uma noveleira de primeira. Coisa que nunca fui.

E lá, no meio da novela, entre uma cena e outra, uma voz preenche meu coração saudoso de África: Pérola, de quem já falei aqui no Mosanblog. Não sei se pelas circunstâncias, pela música escolhida para a novela, pela atitude que hoje parece mais madura do que quatro anos atrás, mas ela ganhou muitos pontos comigo nos últimos meses e tende a ser a minha queridinha em Angola. Um pouco porque o tom de voz lembra Tânia Tomé, confesso.

E não sou só eu que acho que a moça é boa. Recentemente, ela ganhou o troféu Moda Luanda, na categoria Música, com o álbum Mais de Mim, que tem uma faixa que ela canta com a brasileira Ivete Sangalo. Pérola também já ganhou o prêmio Kora, em 2005, na categoria de Melhor Artista da África Austral.

Na novela, ela canta duas músicas: Fala do que quiseres e Sentada familiar. Esta última, inclusive, foi citada pela Lúcia Agapito nos comentários do primeiro post aqui no Mosanblog sobre a cantora.

E como hoje é quinta-feira… por que não transformá-la numa Quinta Quente? Vamos ouvir uma das músicas que Pérola canta na novela e a que mais me toca ao me aproximar de África e de Tânia Tomé – Fala do que quiseres:

Para conhecer mais, visite o site da cantora aqui.

Imperdível

Podem reservar espaço nas agendas!

Lembram da Tânia Tomé? Foi uma das minhas primeiras — e muito boas — impressões aqui em Moçambique.

Pois bem, ela agora me avisa que vai estar em terras brasileiras e leva temas ainda inéditos.

Antes, de 2 a 9 de julho vai estar no XXI Festival Internacional de Poesia de Medelin, na Colômbia. O evento é um dos maiores festivais de poesia no mundo. A Tânia é convidada como cantora e poetisa.

Depois, desembarca no Rio de Janeiro, onde vai apresentar poemas no Teatro do Sesi, no dia 14 de julho. No dia 15, fará uma sessão de música acústica no mesmo teatro, onde se apresentará também ao piano.

Em sua rápida passagem pelo Brasil, a artista ainda vai encontrar tempo para visitar a livraria Kitabu, para cantar e mostrar seu livro de poesias. O encontro deve ser no dia 12, no fim da tarde.

Tânia está neste momento pensando na preparação de mais um álbum de música e irá aproveitar a viagem para encontrar os músicos Guilherme Silva, Grecco Buratto e outros com os quais estabeleceu contato recentemente, para estudar a possibilidade de gravar alguns temas de música no Brasil.

Tânia Tomé no Brasil
Teatro do Sesi
14 e 15 de julho de 2011, das 12h às 13h.
Entrada gratuita (sujeita à lotação) e classificação etária livre.
Endereço: Av. Graça Aranha, 1 – Centro/RJ.
Telefone: 21-2563-4168
Bilheteria: 21-2563-4163

Livraria Kitabu
12 de julho de 2011, às 18h30.
Rua Joaquim Silva, 17 – Lapa/RJ.
Tel: 21- 2252-0533

Obs: como as agendas podem sofrer alterações, sugiro entrarem em contato com os respectivos locais antes de se dirigirem para lá.

Saiba mais sobre a artista visitando os sites Tânia Tomé e Showesia.

Poetisa musical

Na verdade, ela é cantora e poetisa. Eu a vi pela primeira vez no programa Moçambique em Concerto, do Gabriel Júnior, na TVM (Televisão de Moçambique) no último domingo, dia 19 de setembro. Adorei o que vi e ouvi. Boa música, boa voz, simpatia… Depois fui ao seu site oficial, conheci melhor e não tive dúvidas que gostaria de apresentar Tânia Tomé aqui no espaço Quinta Quente no Quinto.

Tânia Tomé recebeu seu primeiro prêmio aos 7 anos de idade, como melhor voz em um concurso internacional organizado em Moçambique pela World Health Organization (WHO). Logo adotou também a arte da poesia, tendo estreado em um sarau aos 13 anos de idade, onde representou o poeta José Craveirinha e tocou piano para acompanhar a própria declamação.

Aos 17 anos, saiu de Moçambique, sua terra natal, rumo a Portugal para cursar faculdade de Economia. Mas a arte não a deixou. Lá teve experiências com canto, declamação e televisão, além de fazer parte de movimentos culturais. Ainda em Portugal, participou de uma antologia Palop (Países Africanos de Língua Oficial Portuguesa), com outros jovens desses países, onde teve 10 poemas de sua autoria.

Em 2009 lançou o DVD Showesia, onde faz o casamento de suas artes principais: música e poesia. São mais de 27 poemas cantados e declamados, com dança, música, canto e poesia.

Abaixo, ela canta uma música de amor, em BiTonga, um dos idiomas falados em Moçambique: Nhi ngugu Haladza (Eu te amo).

Zenguela ngi luvane
Gu ganela monho wango
Gu vaha lipangone
Nhi ngu gu gu
Zenguela ngi luvane
Gu ganela monho wango
Gu vaha lipangone
Nhi ngugu Haladza
Ungu welengueza monho wango
Nha gu uga
Nha gu ona ue
Nha gu g ala la
Ungu welengueza monho wango
Nha gu uga

Nha gu ona ue
Nha gu g ala la
Zenguela
Zenguela ngi luvane
Gu ganela monho wango
Guva Guva Guva G uva há Limpagone
Nhi ngu gu, nhi ngu gu,
Nhi ngu gu haladza
Ungu welengueza monho wango
Nha gu uga
Nha gu ona ue
Nha gu g ala la

Veja mais nos sites Tânia Tomé e Showesia.

%d blogueiros gostam disto: