Idir, da Argélia

Do outro lado do continente está a Argélia, no noroeste da África, o maior país próximo ao mar Mediterrâneo e o segundo mais extenso da África (o primeiro é o Sudão). A Constituição do país define “o islã, o árabe e o berbere” como “componentes fundamentais” da identidade de seu povo.

Nesse país nasceu Hamid Cheriet, em 1949, conhecido hoje pelo nome artístico Idir. Tem cara de engenheiro, professor ou qualquer profissão que exija ar de seriedade. No entanto, sua voz suave e calma (de médico ortopedista ao colocar o osso partido no lugar, para continuarmos nas profissões) o levou a ser cantor, para acariciar nossos ouvidos. Hoje, é um dos principais representantes da música folclórica berbere e da cultura cabília, região onde nasceu.

Para completar seu ar de bom moço, Idir sempre participa em vários concertos apoiando diferentes causas, como em 1995, quando mais de seis mil pessoas assistiram a um show seu em prol da paz, liberdade e tolerância, realizado pelo cantor e seu amigo Khaled, ambos fundadores da associação l’Algérie la vie (“Argélia, minha vida”). Idir também participou de um concerto em memória de Matoub Lounes, um cantor cabílio assassinado em 1998. Em 2001 participou de um evento para celebrar a cultura berbere, no Le Zénith, em Paris. No mesmo ano, organizou outro show para arrecadar fundos para a população pobre de Cabília.

Uma de suas canções mais populares é Vava Inouva, que ficou famosa na década de 1970. Aliás, desde meados da mesma década, Idir vive em França e tem canções também em francês. Vamos ouvir, então, a popular Vava Inouva.

No site de música do Terra encontrei a letra, que trago abaixo, mas em lugar nenhum achei a tradução em português, só em francês, que trago mais abaixo. Eu e os demais leitores agradecemos se alguém colaborar com a versão em português…*

Txilek elli yi n taburt a Vava Inouva
Ccencen tizebgatin-im a yelli Ghriba
Ugadegh lwahc elghaba a Vava Inouva
Ugadegh ula d nekkini a yelli Ghriba

Amghar yedel deg wbernus
Di tesga la yezzizin
Mmis yethebbir i lqut
ussan deg wqarru-s tezzin
Tislit zdeffir uzetta
Tessallay tijebbadin
Arrac ezzin d i tamghart
A sen teghar tiqdimin

Ccencen tizebgatin-im a yelli Ghriba
Ugadegh lwahc elghaba a Vava Inouva
Ugadegh ula d nekkini a yelli Ghriba
Adfel yessed tibbura
Tuggi kecment yehlulen
Tajmaât tettsargu tafsut
Aggur d yetran hejben
Ma d aqejmur n tassaft
Idegger akken idenyen
Mlalen d aït waxxam
I tmacahut ad slen
Txilek elli yi n taburt a Vava Inouva
Ccencen tizebgatin-im a yelli Ghriba
Ugadegh lwahc elghaba a Vava Inouva
Ugadegh ula d nekkini a yelli Ghriba

Do site Azmusica.com.br a tradução para o francês:

Je t’en prie père Inouba ouvre-moi la porte
O fille Ghriba fais tinter tes bracelets
Je crains l’ogre de la forêt père Inouba
O fille Ghriba je le crains aussi.

Le vieux enroulé dans son burnous
A l’écart se chauffe
Son fils soucieux de gagne pain
Passe en revue les jours du lendemain
La bru derrière le métier à tisser
Sans cesse remonte les tendeurs
Les enfants autour de la vieille
S’instruisent des choses d’antan

Je t’en prie père Inouba ouvre-moi la porte
O fille Ghriba fais tinter tes bracelets
Je crains l’ogre de la forêt père Inouba
O fille Ghriba je le crains aussi

La neige s’est entassée contre la porte
L'”ihlulen” bout dans la marmite
La tajmaât rêve déjà au printemps
La lune et les étoiles demeurent claustrées
La bûche de chêne remplace les claies
La famille rassemblée
Prête l’oreille au conte

Je t’en prie père Inouba ouvre-moi la porte
O fille Ghriba fais tinter tes bracelets
Je crains l’ogre de la forêt père Inouba
O fille Ghriba je le crains aussi

*Pois no mesmo dia que publiquei o post, o David já nos enviou a tradução para o português. Quem quiser conhecer esta letra poética de Papai Inouba, pode encontrá-la nos comentários, logo abaixo.

Anúncios

The URI to TrackBack this entry is: https://mosanblog.wordpress.com/2011/06/02/idir-da-argelia/trackback/

RSS feed for comments on this post.

7 ComentáriosDeixe um comentário

  1. […] apresentei aqui na Quinta Quente o cantor Idir, citei que ele tem um amigo, também argelino, com o qual fundou a associação l’Algérie la vie […]

  2. Que geólogo que nada! Seria um desperdício, com essa delícia de voz! Essa música dele é maravilhosa e outras duas que gosto muitooO, pela riqueza dos instrumentos e pela parceria genial dom Cheb Khaled são: Zwit Rwit e el harba wine. AdorooO Khaled: me sinto no Clone da Glória Perez kkkkk!!!
    Parabéns pela escolha e me despeço lhe desejando
    ظاهرة غريبة في الجزائر
    Hahahaha
    Beijos

    • Olha que eu vou pedir tradução também… hehehe.

      Beijos.

      Sanflosi.

      • Só lhe desejaria coisas boas né?
        E hoje vou desejar isso aqui:
        فى نهاية الاسبوع الجميلة.

        P.S. Vou deixar você descobrir kkkk. Basta jogar no tradutor do Google hehehe
        Beijos

    • فى نهاية الاسبوع الجميلة pra você também!

      Beijos.

      Sanflosi.

  3. Em português seria mais ou menos algo como:

    Peço-lhe o pai Inouba abre as portas para mim
    Ó filha Ghriba tilinta os teus braceletes
    Temo o ogro da floresta, pai Inouba
    Ó filha Ghriba, eu o temo também.

    O velho enrolado no seu burnous (manto tipico arabe/berber)
    Afastado, se aquece
    O filho, preocupado com o ganha-pão
    Passa em revista os dias do dia seguinte
    O novelo atrás da maquina de tear
    Constantemente sobe nos tensores
    Crianças ao torno da velha
    Aprende coisas do passado

    Peço-lhe o pai Inouba abre as portas para mim
    Ó filha Ghriba tilinta os teus braceletes
    Temo o ogro da floresta, pai Inouba
    Ó filha Ghriba, eu o temo também.

    A neve foi empilhada contra a porta
    O ihlulen (um prato tipico) ferve no pote
    O tajmaât (não descobri o que quer dizer) já sonha com a primavera
    A lua e as estrelas permanecem enclausuradas
    A tora de carvalho substitui os cestos
    E a família reunida presta atenção ao conto

    Peço-lhe o pai Inouba abre as portas para mim
    Ó filha Ghriba tilinta os teus braceletes
    Temo o ogro da floresta, pai Inouba
    Ó filha Ghriba, eu o temo também.

    🙂

    • Nada como um blog com leitores poliglotas! 😉

      Obrigada, David.

      Beijos.

      Sanflosi.


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: