Comer e ver o Índico

vista aérea da avenida Marginal, em MaputoAo longo da avenida Marginal, em Maputo, há vários restaurantes, bares e cervejarias. É um lugar sempre agradável para estar com os amigos e fazer uma refeição ou apenas tomar uma cerveja com petiscos. Afinal, poucas coisas são melhores do que fazer isso à beira do Índico.

Um desses estabelecimentos é a cervejaria Miramar. Com uma esplanada na areia da praia, o lugar tem espaço para 300 pessoas (parte interna e externa) e uma boa variedade de pratos e petiscos.

Nos finais de semana tem música ao vivo e durante a semana, à noite, o telão costuma apresentar jogos de futebol. Com uma decoração simples, o que vale mesmo é a vista do Índico e a boa comida.

A variedade do cardápio permite que o cliente escolha desde café da manhã até pratos completos, passando por sandes (sanduíches) e petiscos. Os destaques ficam para os sandes de bife, chouriço (lingüiça) ou galinha, pão de alho, chamuças e porções de cabeça de lula ou bachalhau desfiado. Entre os pratos, peixe a vapor, espetada de carne e chouriço e espetada de marisco.

Para fazer jus à “cervejaria” no nome, é possível encontrar cerveja de garrafa ou pressão (o nosso chopp) de variadas marcas: Manica, Castle, Heineken, Hunters, Savana, 2M, Laurentina…

E ainda tem uma grande qualidade, não tão comum por aqui: nos finais de semana, a cozinha fica aberta até meia-noite, como diz na publicidade.

Serviço:
O quê? Cervejaria Miramar.
Quando? 2a a 6a, das 9h às 23h; sexta, sábado e domingo, das 9h às 24h.
Quanto? Porção com 4 chamuças: MT 170,00 (R$ 9,50); pão de alho: MT 60,00 (R$ 3,30); cabeça de lula: MT 280,00 (R$ 15,50); bacalhau desfiado: MT 320,00 (MT 17,80); sandes: MT 230,00 (R$ 12,80); peixe a vapor: MT 470,00 (R$ 26,10); espetada de carne e chouriço: MT 350,00 (R$ 19,45); espetada de marisco: MT 450,00 (R$ 25,00); sobremesas: em média MT 160,00 (R$ 8,80); cervejas: entre MT 60,00 e MT 120,00 (R$ 3,30 a R$ 6,60).
Onde? Avenida Marginal, 4.272, Maputo.
Telefone: 82 3193 950/82 3030 690.

Mamma Mia

Outro dia o post Enfim, um italiano recebeu o comentário de Miguel indicando um outro restaurante dessa categoria, o Mamma Mia. Só então, me dei conta que já conhecia esse lugar. Na verdade, conheci depois do Campo di Fiori, que, aliás, continua sendo meu preferido. Mas o Mamma Mia merece também espaço, pois é muito bom e fica num local ainda mais interessante, junto à Feima, feira de artesanato que citei no texto Rota do Artesanato em Maputo.

Eu não tinha me empolgado ainda em fazer um post sobre ele, porque todas as vezes que eu fui lá estava com vários amigos e a análise do restaurante acabava ficando prejudicada, porque a atenção dispersava. Então, agora resolvi ir lá com o objetivo de analisar.

No cardápio, a explicação de que o estabelecimento oferece gastronomia ítalo-moçambicana, o que torna as opções bastante variadas. Por exemplo, pode-se pedir bruscheta e frango à zambeziana. Ou então, xima e bife panado (à milanesa). As sobremesas também são boas (apesar de não ter o sorvete Giani que tem no outro) e puxam mais para o italiano mesmo: tiramissú, profiteroles, bolo de chocolate. Há também opções para café da manhã.

Para beber, a surpresa boa é que tem sucos naturais de verdade (já contei aqui que issso é difícil em Maputo). O de tangerina é uma delícia. Entre as alcoólicas, tem cerveja e, como bom italiano, vinhos.

Para os viciados em estar conectados, o parque onde ele fica oferece internet sem fio gratuita.

Mamma Mia

Restaurante Mamma Mia, com feira de artesanato ao fundo

Serviço:
O quê? Restaurante Mamma Mia.
Quando? Diariamente, das 8h às 21h.
Quanto? bruschetta: MT 80,00 (R$ 4,45); ½ frango à zambeziana: MT 210,00 (R$ 11,70); nhoque bolonhesa: MT 250,00 (R$ 13,90); lasanha vegetariana: MT 280,00 (R$ 15,55); bife panado: MT 270,00 (R$ 15,00); xima: MT 50,00 (R$ 2,80); sobremesas: em média MT 100,00 (R$ 5,55); sumo: MT 120,00 (R$ 6,65).
Onde? Parque dos Continuadores (entre avenidas Mártires da Machava e Armando Tivane).
Encomendas: aceita encomenda de pastelaria (doces) e massa fresca, nos telefones 82-6164320 (Massimo) e 82-3097570 (Alex).

Curinga

Tem alguns lugares que acabam sendo verdadeiros curingas na vida da gente. Aquele dia que não queremos experimentar algo novo ou que vamos a um lugar e não dá certo porque está fechado ou lotado ou ainda nos dias que temos que reunir amigos de diversos gostos, sempre é bom ter um lugar onde sabemos que de um jeito ou de outro, todos saem satisfeitos. Assim é o restaurante Escorpião.

interior do restaurante Escorpião

Ele fica na Feira Popular de Maputo, um centro de diversões com restaurantes, bares, casas noturnas e parque de diversões. Nos restaurantes, podemos encontrar comida vietnamita, chinesa, moçambicana, grega e portuguesa, que é o caso do Escorpião.

O nosso curinga é simples e eficiente: tem um amplo espaço com mesas e mais parece uma cantina italiana, daquelas do bairro do Bixiga, em São Paulo. Os pratos são muito bem servidos, o atendimento é bom, o ambiente agradável. E melhor: a relação custo x benefício é justa. Uma refeição completa sai, em média, por MT 500,00 (R$ 25,60).

O prato da casa é o bife à Escorpião: bife servido com queijo, fiambre (presunto) e batata frita. Também tem pizzas variadas, peixes, omeletes, pratos portugueses como febras (espécie de bife) de porco e o famoso naco na pedra: um naco mesmo de carne (chega a ter 500 g e é cortado alto), servido cru, sobre uma pedra quentíssima. Acompanha salada, batata frita e molhos diversos. O cliente é que faz a mistura dos temperos e acerta o ponto da carne, que vai cozinhando no calor da pedra.

Também tem boa variedade nas sobremesas: torta de castanha de caju, delícias de nata, bolo brigadeiro e sorvete.

localização do Escorpião no mapa de Maputo

Serviço:
O quê? Restaurante Escorpião.
Quando? 3ª a 5ª e domingo, das 11h30 às 22h30; 6ª e sábado das 11h30 às 23h30. Não abre às segundas.
Quanto? Porção de pão de alho: MT 60,00 (R$ 3,00); pizzas: em média MT 270,00 (R$ 13,85); bife à escorpião: MT 410,00 (R$ 21); febras de porco com fritas: MT 310,00 (R$ 15,90); naco na pedra: MT 450,00 (R$ 23); vermelhão com batata e legumes: MT 280,00 (R$ 14,35); omelete de cebola: MT 160,00 (R$ 8,20); sobremesas: em média MT 115,00 (R$ 5,90).
Onde? Dentro da Feira Popular, na Avenida 25 de setembro, esquina com a rua Belmiro Obadias Muanga.
Telefone: 21-302-180.

Um dos tantos chineses

fachada do restaurante Dragão

Já comentei por aqui que os chineses estão por toda a parte em Moçambique (na verdade, sabemos que estão em toda parte no mundo, né?). Enfim, aqui são muitos. Vamos até ter uma cidadela para eles, aqui ao lado de Maputo. Eles trabalham em várias áreas. Mais visivelmente na construção civil, mas estão em tudo. Como não podia deixar de ser, encontramos aqui muitos restaurantes de comida chinesa.

Hoje escolhi falar de um que me lembra outro que frenquentei algumas vezes em Brasília, O Dragão. O Dragão de Brasília fica no subsolo do Conic. Quem me levou lá a primeira vez foi o amigo Lisarb e adorei tudo. O daqui de Maputo fica na Avenida Salvador Allende, quase na esquina com a avenida 24 de julho. Também foi um amigo que nos levou lá, o Ricardo Botas.

Curiosamente, a ala de fumantes (aqui, alguns restaurantes têm isso. Nos outros, fuma-se em qualquer lugar) era uma sala isolada no meio do restaurante. Lá fomos nós, em homenagem ao Ricardo. E à volta da mesona para 10 pessoas, sentamos os três (Eduardo, Ricardo e eu) e nos refestelamos com as “especialidades cantonesas preparadas por cozinheiro profissional da China”, como está destacado no cardápio.

Os pratos, como em todo bom restaurante chinês, são bem-servidíssimos. E saborosos também, o que é melhor. Comemos costeletas fritas com alho, chopsui (que já vi escrito das mais diversas maneiras, mas copio aqui como está no cardápio lá), arroz chau chau e massa chinesa com camarão (esse último não experimentei, por causa da alergia).

E esse restaurante ainda tem um grande diferencial para Maputo: faz entregas!

entrada do restaurante O Dragão

Serviço:
O quê? Restaurante O Dragão.
Quando? Todos os dias, das 10h às 22h.
Quanto? Costeleta frita com alho: MT 320,00 (R$ 16,00); chopsui: MT 120,00 a porção pequena e MT 230 a grande (R$ 6,00 e R$ 11,50, respectivamente); arroz chauchau MT 100,00 a porção pequena e MT 200,00 a grande (R$ 5 e R$ 10, respectivamente); massa com camarão: MT 150,00 (R$ 7,50).
Onde? Av. Salvador Allende, 313.
Telefones para encomendar entregas: 82-3749-699 ou 84-2700-020.
Cobra-se uma taxa de MT 35,00 (R$ 1,75) por entrega, que pode ser feita em toda a cidade de Maputo.

Sumos naturais

Uma coisa que sinto muita falta em Maputo é oferta de suco (ou sumo, como chamam aqui) natural. Em quase nenhum restaurante, café ou pastelaria (doceria) é possível encontrar. Em alguns poucos tem o famoso de laranja e em outros menos ainda encontra-se a mistura de laranja com cenoura e, se der sorte, maçã. Mas é muito raro mesmo. Quase sempre tem suco, mas é industrializado. E se você pergunta se tem suco natural, muitas vezes o garçom responde que sim, mas traz a caixinha ou garrafa. Afinal, na embalagem está escrito que é natural…

Em um país com clima tropical, com tantas frutas em todo o território, é uma pena que não aproveitem para tomar bebidas naturais de verdade, frescas. Mas outro dia fui a um restaurante que tem boa oferta de sumos. A comida, confesso, nem me agradou tanto, porque é um tanto apimentada e isso não é para meu gosto. Mas só a possibilidade de escolher entre quatro ou cinco frutas para tomar um suco já me faz trazer o restaurante para o Mosanblog.

O Villa Romana fica no Maputo Shopping Center, na praça de alimentação externa. Ele fica junto a um restaurante árabe, então o cardápio traz pratos das duas nacionalidades, desde tabule e humus até espaguetti à bolonhesa e pizza. Como já avisei: tudo muito picante. Mas, por ficar em uma praça de alimentação de um shopping, também se pode dar uma passadinha por lá só para tomar um suco de manga, ou ananás (abacaxi) ou melancia…

Serviço:
O quê? Restaurante Villa Romana.
Quando? Todos os dias, das 8h às 23h (sextas e sábados fica até meia-noite)
Quanto? Sumos naturais: MT 120,00 (R$ 6,00); tabule: MT 160,00 (R$ 8,00); porção de humus com pão árabe MT 90,00 (R$ 4,50); massas com molho – bolonhesa, napolitano, mariscos: cerca de MT 160,00 (R$ 8,00); pizzas: em média MT 290,00 (R$ 14,50); sorvete: MT 140,00 (R$ 7,00).
Onde? Praça de Alimentação do Maputo Shopping Center.

Shamwari

Em uma rua calma, entre a zona do museu (região do Museu de História Natural) e a avenida Julius Nyerere, está um lugar de bom atendimento, decoração rústica, mas bem cuidada, onde é possível tomar o café da manhã, uma cerveja no fim da tarde ou fazer as refeições principais como almoço e jantar.

Há diversas opções de pratos e não há demora para serem servidos. São pratos comumente encontrados em restaurantes portugueses, como o Prego no Prato, e também típicos de Moçambique, como o Caril de Camarão, e ainda sanduíches e petiscos. Nas sobremesas, encontramos opções caseiras como o pudim de ovos (pudim de leite condensado, no Brasil) e o arroz doce.

A propósito, Shamwari significa amigo em idiomas falados no centro e no norte de Moçambique, desde a cidade da Beira e região. O astral do funcionamento da casa — aparente bom relacionamento interno desde os garçons até o balcão e a caixa — e o bom atendimento aos clientes combinam com o nome.

Fachada Shamwari

Serviço:
O quê? Restaurante Shamwari.
Quando? 2ª feira a sábado, das 9h às 16h e das 17h às 22h30
Quanto? Prego no prato (bife, ovo, salada e batata frita) = MT 220,00 (R$ 10,00); caril de camarão = MT 250,00 (R$ 11,36); costeleta de porco na brasa (bisteca, arroz, salada) = MT 295,00 (R$ 13,40); carne assada com purê de batata = MT 250,00 (R$ 11,36); sobremesas, em média MT 55,00 (R$ 2,50); suco de laranja = MT 90,00 R$ 4,10); couvert para duas pessoas (pão, manteiga e azeitonas) = MT 80,00 (R$ 3,63).
Onde? Rua Sansão Mutemba, 171, Maputo.

Jantar de comemoração

Ontem, o dia que começou no Jardim dos Namorados, como se vê no post exatamente anterior a este, terminou com jantar no Villa das Mangas, restaurante de um hotel do mesmo nome. É o mais bacana que já fomos aqui. Também, aniversário de casamento merece…

De entrada, o clássico pão com manteiga. Depois, comi um prato de filé com tempero de alho, batata frita e salada. Eduardo foi nos camarões médios com legumes cozidos. Tudo acompanhado de Laurentina Premium, cerveja moçambicana.

salão do restaurante Villa das MangasPara além dos pratos muito bem apresentados e saborosos, o atendimento foi muito bom e o lugar é lindo, muito bem decorado, com cadeiras confortáveis, toalhas de mesa finas bordadas e esculturas muito bem feitas em toda parte.

Como eu disse no começo, o restaurante faz parte de um hotel, também chamado Villa das Mangas. Nunca ficamos hospedados lá, nem conhecemos alguém que o tenha feito, mas já entramos para conhecer o pátio onde tem a piscina. É muito bonito e tem uma grande mangueira, que deu o nome ao lugar. Em comentários que encontrei na internet, as pessoas reclamam um pouco do café da manhã e de algumas situações no hotel que talvez se devam à elevada expectativa. Aqui você vê fotos do hotel, aqui algumas informações e aqui comentários de quem já ficou no hotel.

Sandra no Villa das MangasServiço:
O quê? Restaurante Villa das Mangas.
Quando? Todos os dias (inclusive domingos e feriados), para café da manhã (matabicho – Moçambique – ou pequeno almoço – Portugal), almoço e jantar.
Quanto? Jantar para duas pessoas, com couvert, dois pratos principais, três cervejas long neck, dois cafés: MT 1.350,00 (R$ 62,00).
Onde? Av. 24 de julho, 401, Maputo. Telefones: 21-497-507/21-477-078.

Meu preferido

No momento, meu restaurante preferido aqui em Maputo é o Boa Maré. Nada de luxo, requinte ou sofisticação. Apenas boa comida, higiene e bom atendimento. O que mais um restaurante precisa, afinal?

Como lá é servido de tudo, desde o café da manhã (mata-bicho, por aqui) até a cerveja com petiscos no fim do dia, passando pelas refeições mais robustas, como almoço e jantar, o ponto já virou quase uma extensão do meu escritório. Várias reuniões têm se dado ali, acompanhadas de café com bolo de cenoura, por exemplo.

Os pratos são caseiríssimos e as mãos dos donos — sempre na casa — se mostram presentes. Além do cardápio, onde se pode escolher uma imensa variedade de sanduíches e pratos, no almoço, há os pratos do dia. A cada dia da semana, dois pratos estão à disposição e são (bem) servidos rapidamente.

No momento, as escolhas são:
2ª feira: Carne assada com purê ou Massa à lavrador
3ª feira: Arroz de feijão com panados de porco (meu eleito) ou Garoupa com batata e legumes cozidos
4ª feira: Frango assado no forno ou Jardineira
5ª feira: Salada russa com filetes de garoupa ou Perna de porco assada no forno
6ª feira: Feijoada (não se iludam, feijoada aqui não é como a brasileira) ou Arroz de polvo
sábado: Rojões com batata, arroz e salada ou bacalhau à Brás

fachada Boa Maré Todo dia também tem uma sopa e muitas opções doces caseiros, como musses, bolo de bolacha, bolo de ananás (abacaxi), cremes, entre outros, além de salada de frutas, para agradar a Dra. Andreia.

Serviço:
O quê? Restaurante e Café Boa Maré.

Quando? De segunda-feira a sábado, das 8h30 às 23h (costuma ficar até mais tarde, porque atendem enquanto houver cliente).

Quanto? Café da manhã/Matabicho/Pequeno almoço sai por MT 190,00 (R$ 8,75); saladas por MT 180,00 (R$ 8,25); omeletes, em média, MT 180,00 também; Prego no prato (bife, ovo, batata frita e salada), MT 220,00 (R$ 10,10). Há 4 pratos com bacalhau, que custam entre MT 350,00 (R$ 16,10) e MT 650,00 (R$ 29,90). Entre os aperitivos, um muito popular por aqui é o camarão ao alhinho, por MT 200,00 (R$ 9,20). Sobremesas: MT 120,00 (R$ 5,50).

Onde? Av. 24 de julho, 1.395, Maputo.

Sábado é dia de feijoada aqui também

Ainda não sei se em Moçambique há o famoso prato do dia com a mesma repetição de cardápio em vários restaurantes como no Brasil. Em São Paulo, por exemplo, quarta e sábado são dias de feijoada e sexta é dia de peixe. Os outros dias também têm seus pratos, mas não lembro quais são para que dias. Enfim, isso não vem ao caso… O fato é que se aqui tem ou não a mesma prática, eu ainda não conheço, mas sei que tem um restaurante, que um dia foi de um brasileiro, onde aos sábados servem feijoada.

O Tipalino fica lá na baixa, na avenida 25 de setembro. O dono não é mais o brasileiro, mas quando ele passou o estabelecimento para outro, permaneceram os funcionários, que já haviam aprendido bem como é a feijoada.

O torresmo lá é de dar aula a muito restaurante brasileiro. Sempre sequinho e crocante, uma delícia. A batata frita até parece a da minha mãe (só parece, viu, mãe? A sua é melhor, claro!). O feijão tem aquele caldo grosso, que ficou horas cozinhando. Enfim, virou tradição, aos sábados, almoçarmos por lá. Em geral, temos ainda a companhia dos amigos Ricardo e Sandra, e o filho deles, Vasco. Ou seja, os sábados têm sido muito agradáveis por aqui.

Abaixo, a foto do prato de hoje, com a porção de verdura da semana (couve bem picadinha e refogada) e os adendos em grande quantidade… espero que a Dra. Andréa (nutricionista) não veja. Mas, convenhamos, é sábado!

Feijoada no Tipalino

Adendo: Quando escrevi o post originalmente, ainda não tinha criado a categoria Comes e Bebes. Agora, em agosto de 2010, com ela criada, acrescento o serviço sobre o restaurante:

Serviço:
O quê? Restaurante por quilo Tipalino.
Quando? Todos os dias, no almoço.
Quanto? Refeição por quilo, a MT 350,00 o quilo (cerca de R$ 16,90).
Onde? Avenida 25 de setembro, 1.195, Maputo.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 191 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: